A Família Real Portuguesa no Brasil no século XIX - Atividade

14:22 Junior Lopes 21 Comentários

A corte portuguesa no Brasil

A Família Real Portuguesa no Brasil

Atividade para a Semana de História



A chegada da Família Real Portuguesa no Brasil em 1808 é um assunto que desperta bastante a atenção dos alunos. Por isso mesmo é um tema fácil para nós, professores, trabalharmos de diversas formas em nossas aulas.



Para este ano, resolvi 'ressuscitar' um jogo produzido em conjunto pela Prefeitura do Rio de Janeiro, pela Secretaria Municipal do Rio de Janeiro e pela MULTIRIO em 2008, como parte das comemorações pelos 200 anos da chegada da Família Real.


Geralmente nós vemos primeiramente o conteúdo em sala e depois partimos para a realização de atividades relacionadas ao tema. No entanto, desta vez, fizemos diferente, começamos pelo vídeo (que você pode conferir logo abaixo), com alguns esclarecimentos após a exibição do mesmo. Depois montamos o jogo em sala. ********O jogo não está mais disponível no site da Multirio mas, por sorte, eu fiz um backup. Clique nos links abaixo para baixar o jogo completo (se você não tem conta no Mega, clique em 'Baixar pelo navegador' em cada nova janela que abrir):





Depois de assistir ao vídeo, vote na nossa enquete permanente:



Com o jogo montado, fizemos um campeonato em sala que os alunos curtiram bastante. O vídeo abaixo tem algumas jogadas realizadas pelos participantes e fotos dos jogadores.



Depois disso, foi pedido que os alunos pesquisassem sobre fatos citados no jogo e comentassem aqui nesta postagem. Confira logo ao final desta postagem.
Detalhe: se você ficar com dúvidas sobre o jogo, deixe um comentário a esta postagem que tentarei explicar.

Clique aqui e veja mais sobre a Família Real no Brasil aqui no blog.






Colégio Construindo o Saber

21 comentários:

  1. Carlota Joaquina foi a primeira filha do rei Espanhol Carlos 4º com Dona Maria Luísa de Bourbon, ela nasceu a 25 de abril de 1775 na cidade de Aranjuez. Aos dez anos foi obrigada a contrair matrimônio, por meio de procuração, com o príncipe português D. João, segundo filho da rainha Maria I, a Louca. O casamento de ambos deu-se por interesse das duas famílias, que ambicionavam um acordo entre os dois países. D. João veio a tornar-se príncipe regente e em seguida rei de Portugal, somente após a morte de seu primeiro irmão, D. José, adquirindo então o título de D. João VI. Dona Carlota era uma pessoa que se não se enquadrava nos padrões de beleza, era feia de nascimento, possuía um gênio muito forte e pretendia sempre impor suas vontades.
    Assaz cobiçosa, tentou de imediato mandar em seu esposo, porém este não se curvou aos seus desmandos, o que acarretou o afastamento entre ambos. Quando sua mãe adoece, com problemas de demência, D. João passa a viver no palácio de Mafra, ao seu lado, enquanto Dona Carlota permanece no palácio de Queluz junto à família real. Dona Carlota Joaquina deu à luz nove filhos, os quais foram batizados com os seguintes nomes: Maria Teresa, Antonio Pio, Maria Isabel Francisca, Pedro de Bragança - que viria a ser o futuro soberano do Brasil -, Maria Francisca, Isabel Maria, Miguel I, Maria da Assunção e Ana de Jesus. Veio para o Brasil contra sua vontade e assim que chegou ao Rio de Janeiro optou por habitar sempre distante do marido, em localidades campestres, como Botafogo, por exemplo. Somente em festividades públicas os dois eram vistos juntos.

    Seu humor variava muito, quando se encontrava de péssimo humor tinha a capacidade de mandar castigar com chicotadas os viandantes que não dobravam os joelhos quando ela passava com sua comitiva. O príncipe não podia colocar a sua autoridade em risco e procurava manter Dona Carlota sempre bem vigiada por agentes secretos, que contratava para lhe informar todos os passos da mesma.

    A princesa, com seu gênio voluntarioso, encontrava sempre um meio de comprar algum deles para lhe manter informada do que se passava no Palácio Real e na Quinta da Boa Vista. Um espião em particular ficou muito conhecido na época por trabalhar para ambos simultaneamente, Francisco Gomes da Silva, cujo apelido era Chalaça. Entre as várias informações relatadas ao príncipe, algumas eram irrelevantes, outras, porém, eram graves, como os vários amantes de sua mulher e as tramas que articulava contra o príncipe, no intuito de lhe tirar o poder das mãos. No ano de 1816, após o falecimento de D. Maria lª, Carlota Joaquina é declarada rainha.

    Quando retorna a Portugal, após a Revolta do Porto, torna pública e notória sua insatisfação para com o regime constitucional que impera, o que acarreta na invalidação de seu título honorífico português. Isolada na Quinta do Ramalhão, ela maquinou para o retorno do absolutismo, e após o falecimento de D. João VI, tentou convencer o filho D. Miguel a apossar-se da coroa, mas a tentativa foi frustrada, pois ela por direito pertencia a D. Pedro I, que posteriormente a reivindicaria. D. Carlota Joaquina vem a morrer no palácio de Queluz, em Lisboa, a 07 de janeiro de 1830.

    ResponderExcluir
  2. Mudanças na economia brasileira com a chegada da Família Real Portuguesa:
    Depois da chegada da família real duas medidas de Dom João deram rápido impulso à economia brasileira: a abertura dos portos e a permissão de montar indústrias que haviam sido proibidas por Portugal anteriormente.
    Abriram-se fábricas, manufaturas de tecidos começaram a surgir, mas não progrediram por causa da concorrência dos tecidos ingleses.
    Bom resultado teve, porém, a produção de ferro com a criação da Usina de Ipanema nas províncias de São Paulo e Minas Gerais.
    Outras medidas de Dom João estimularam as atividades econômicas do Brasil como:
    • Construção de estradas;
    • Os portos foram melhorados. Foram introduzidos no país novas espécies vegetais, como o chá;
    • Promoveu a vinda de colonos europeus.
    A produção agrícola voltou a crescer. O açúcar e do algodão, passaram a ser primeiro e segundo lugar nas exportações, no início do século XIX. Neste período surgiu o café, novo produto, que logo passou do terceiro lugar para o primeiro lugar nas exportações brasileira.
    Usina de ferro de Ipanema.

    ResponderExcluir
  3. Eu n sei se foi ou n vou mandar novamente :)

    ResponderExcluir
  4. Vinda da Família Real: No século XIX, Napoleão tornou-se imperador da França, seu objetivo era ter poder absoluto na Europa. Para alcançar isso derrotou o exército de diversos países, porém o mesmo não conseguiu com as forças militares e navais da Inglaterra. Para enfrentar-los, Napoleão decretou o Bloqueio Continental - determinação que não deixava a Europa negociar com a Inglaterra.
    Portugal e Inglaterra eram velhos amigos, o que deixou Dom João em uma posição delicadíssima. A situação dele não era nada fácil.
    A saída encontrada, em conluio com os ingleses, foi a mudança da comitiva portuguesa para o Brasil. Em novembro de 1807, sob proteção da força naval inglesa,Aportaram em território brasileiro cerca de quatorze navios com 15 mil pessoas. Após a chegada da linhagem real, D.João passou alguns dias em Salvador, quando tomou duas decisões que deram uma injeção de ânimo na economia brasileira: determinou a abertura dos portos aos países amistosos e a autorização para a instalação de indústrias.
    Surgiram várias fábricas e trabalhos manuais em tecido. Entre outros feitos importantes para a economia, pode-se citar a construção de estradas, melhorias nos portos. A atividade agrícola voltou a crescer. No início do século XIX, o açúcar e o algodão subiram nas exportações,e o café subiu para o topo nas exportações brasileiras.
    A chegada da família real ao Brasil e sua instalação no Rio de Janeiro trouxeram para a colônia o status de Reino Unido de Algarves.D. João instituiu alguns ministérios, entre eles o da Guerra, da Marinha e da Fazenda. Estabeleceu órgãos fundamentais para o bom andamento do governo, como o Banco do Brasil, a Casa da Moeda, a Junta Geral do Comércio e o Supremo Tribunal. As melhorias não foram só econômicas, mas também culturais e educacionais. A Academia Real Militar, a Academia da Marinha, a Escola Real de Ciências, de Artes e Ofícios, a famosa Academia de Belas-Artes e dois colégios de Medicina e Cirurgia, no Rio de Janeiro e em Salvador, foram algumas das contribuições recebidas com a vinda da realeza para o Brasil. Entre outras benfeitorias, cita-se o Observatório Astronômico, a Biblioteca Real - combinação de diversos livros e documentos que vieram de Portugal e o surgimento do Jardim Botânico.
    Em 10 de setembro de 1808, imprimiu-se o primeiro jornal do país, a Gazeta do Rio de Janeiro. Porém, nem tudo foi glória. A imagem que D. João passa logo que chega não é bem vista por muitos moradores, que se vêem obrigados a ceder seus imóveis privados para que a coroa abrigue todos os que vieram consigo, os que aqui chegaram tiveram carta branca para escolher a residência que melhor lhes conviesse. Feita a escolha, estas casas eram marcadas com as letras P.R, que queriam dizer Príncipe Regente, e a partir daí estipulavam um tempo determinado para que seus moradores as desocupassem.
    Foi com o intuito de empregar essas pessoas que D. João criou os órgãos acima citados. O Rio de Janeiro passou por uma grande transformação, expandiu-se, ganhou chafarizes, para que houvesse fornecimento de água, pontes e calçadas, assim a realeza poderia caminhar despreocupadamente. Construíram-se ruas e estradas, e a iluminação pública foi instalada.
    Enquanto o Brasil se vangloriava por ter deixado de ser colônia e o Rio de Janeiro se transformava na sede do reino, em Portugal a situação não era das melhores, o povo encontrava-se depauperado em consequência da guerra contra Napoleão e o comércio estava em decadência.
    Revoltados, os portugueses exigiram a volta de D. João á Portugal. Pediam também que o comércio brasileiro fosse realizado somente com os mercantes de Portugal. D. João resolveu que a melhor solução para esses problemas era sua volta para Portugal, a qual deu-se em 26 de abril de 1821, porém aqui ficou seu filho, D. Pedro, no papel de governante do Brasil.O embarque de D. João foi bastante conturbado, pois este decidiu levar consigo o dinheiro e o ouro do Banco do Brasil. Desta forma, D. João foi embora para Portugal com nosso dinheiro.

    ResponderExcluir
  5. Vinda da Família Real: No século XIX, Napoleão tornou-se imperador da França, seu objetivo era ter poder absoluto na Europa. Para alcançar isso derrotou o exército de diversos países, porém o mesmo não conseguiu com as forças militares e navais da Inglaterra. Para enfrentar-los, Napoleão decretou o Bloqueio Continental - determinação que não deixava a Europa negociar com a Inglaterra.
    Portugal e Inglaterra eram velhos amigos, o que deixou Dom João em uma posição delicadíssima. A situação dele não era nada fácil.
    A saída encontrada, em conluio com os ingleses, foi a mudança da comitiva portuguesa para o Brasil. Em novembro de 1807, sob proteção da força naval inglesa,Aportaram em território brasileiro cerca de quatorze navios com 15 mil pessoas. Após a chegada da linhagem real, D.João passou alguns dias em Salvador, quando tomou duas decisões que deram uma injeção de ânimo na economia brasileira: determinou a abertura dos portos aos países amistosos e a autorização para a instalação de indústrias.
    Surgiram várias fábricas e trabalhos manuais em tecido. Entre outros feitos importantes para a economia, pode-se citar a construção de estradas, melhorias nos portos. A atividade agrícola voltou a crescer. No início do século XIX, o açúcar e o algodão subiram nas exportações,e o café subiu para o topo nas exportações brasileiras.
    A chegada da família real ao Brasil e sua instalação no Rio de Janeiro trouxeram para a colônia o status de Reino Unido de Algarves.D. João instituiu alguns ministérios, entre eles o da Guerra, da Marinha e da Fazenda. Estabeleceu órgãos fundamentais para o bom andamento do governo, como o Banco do Brasil, a Casa da Moeda, a Junta Geral do Comércio e o Supremo Tribunal. As melhorias não foram só econômicas, mas também culturais e educacionais. A Academia Real Militar, a Academia da Marinha, a Escola Real de Ciências, de Artes e Ofícios, a famosa Academia de Belas-Artes e dois colégios de Medicina e Cirurgia, no Rio de Janeiro e em Salvador, foram algumas das contribuições recebidas com a vinda da realeza para o Brasil. Entre outras benfeitorias, cita-se o Observatório Astronômico, a Biblioteca Real - combinação de diversos livros e documentos que vieram de Portugal e o surgimento do Jardim Botânico.
    Em 10 de setembro de 1808, imprimiu-se o primeiro jornal do país, a Gazeta do Rio de Janeiro. Porém, nem tudo foi glória. A imagem que D. João passa logo que chega não é bem vista por muitos moradores, que se vêem obrigados a ceder seus imóveis privados para que a coroa abrigue todos os que vieram consigo, os que aqui chegaram tiveram carta branca para escolher a residência que melhor lhes conviesse. Feita a escolha, estas casas eram marcadas com as letras P.R, que queriam dizer Príncipe Regente, e a partir daí estipulavam um tempo determinado para que seus moradores as desocupassem.
    Foi com o intuito de empregar essas pessoas que D. João criou os órgãos acima citados. O Rio de Janeiro passou por uma grande transformação, expandiu-se, ganhou chafarizes, para que houvesse fornecimento de água, pontes e calçadas, assim a realeza poderia caminhar despreocupadamente. Construíram-se ruas e estradas, e a iluminação pública foi instalada.
    Enquanto o Brasil se vangloriava por ter deixado de ser colônia e o Rio de Janeiro se transformava na sede do reino, em Portugal a situação não era das melhores, o povo encontrava-se depauperado em consequência da guerra contra Napoleão e o comércio estava em decadência.
    Revoltados, os portugueses exigiram a volta de D. João á Portugal. Pediam também que o comércio brasileiro fosse realizado somente com os mercantes de Portugal. D. João resolveu que a melhor solução para esses problemas era sua volta para Portugal, a qual deu-se em 26 de abril de 1821, porém aqui ficou seu filho, D. Pedro, no papel de governante do Brasil.O embarque de D. João foi bastante conturbado, pois este decidiu levar consigo o dinheiro e o ouro do Banco do Brasil. Desta forma, D. João foi embora para Portugal com nosso dinheiro.

    ResponderExcluir
  6. A 14 de Junho de 1807, Napoleão vencia os russos na batalha de Friedland, depois de 23 horas de combate. Cinco dias depois, o Imperador russo, Alexandre I, decide estabelecer um acordo de paz. Finalmente, após vários dias de conversações, é assinado o Tratado de Tilsit (7 de Julho), onde se determinava o apogeu da política napoleónica.
    Encontro dos dois imperadores no meio do rio Neman, onde foi acordado oTratado de Tilsit
    Entre outros termos, previa-se o fim das monarquias ibéricas reinadas pela Casa de Bragança e pelos Bourbons:

    Art.º 1º - A Russia tomará posse da Turquia na Europa e levará as suas conquistas pela Ásia dentro até aonde lhe fizer conta.
    Art.º 2º - Cessarão de existir as dinastias dos Bourbon em Espanha e dos Bragança em Portugal: um príncipe da família do Imperador Napoleão, será revestido da Coroa destes Reinos.
    Art.º 3º - A autoridade temporal do Papa cessará, e Roma com as suas dependências, será unida ao Reino de Itália.
    Art.º 4º - A Rússia obriga-se a ajudar a França em conquistar Gibraltar.
    Art.º 5º - As cidades de África, a saber: Tunis, Argel, etc, ficarão possuídas pela França, e depois da paz geral, todas as conquistas que a França tiver feito em África durante a guerra, serão dadas como indemnização aos reis de Sardenha e Sicília.
    Art.º 6º - Malta será ocupada pelos franceses e a França jamais fará a paz com Inglaterra sem que ela lhe ceda esta Ilha.
    Art.º 7º - O Egipto será ocupado pelos franceses. A França, Rússia, Espanha e Itália terão o direito de navegação no Mediterrâneo - todos os outros serão excluídos.
    Art.º 8º - Não se declara o seu conteúdo.
    Art.º 9º - A Dinamarca será indemnizada no Norte de Alemanha, e nas cidades Hanseáticas se ela ceder a sua Esquadra à França.
    Art. 10º - Suas Majestades de França e Rússia, farão um ajuste, pelo qual, nenhuma Potência para o futuro terá direito de fazer navegar embarcações mercantes, excepto mandando-lhes um certo número de navios de guerra.
    Dois dias depois (9 de Julho) a França assina um outro Tratado de Tilsit com a Prússia, que perde então cerca de metade do seu território, que por sua vez dá origem ao Reino de Westphalie, um dos quatro reinos da Confederação do Reno, espécie de Estado-satélite do Império francês.

    ResponderExcluir
  7. Invasões territoriais aos países vizinhos do Brasil com a chegada da Família Real Portuguesa:
    . A saída da família real portuguesa da Europa: Em meio às guerras napoleônicas na Europa, em 1806 os franceses proíbem qualquer país da Europa continental de comerciar com a Inglaterra. Portugal não aceita essa imposição e sofre a invasão das tropas de Napoleão. A família real toma a decisão de fugir para o Brasil – sua mais rica colônia –, plano este já tramado desde fins do século XVIII. Junto com a família real, vem toda a corte portuguesa, em um total de aproximadamente 15 mil pessoas em 20 navios. A Inglaterra apóia essa medida e escolta a frota portuguesa, permanecendo como a maior aliada de Portugal.

    A vinda da família real portuguesa para o Brasil: se deu no ano de 1808, após a invasão das tropas de Napoleão Bonaparte a Portugal.

    Essa invasão foi causada porque a França não conseguiu derrotar a Inglaterra em uma disputa militar, fato pelo qual Napoleão proibiu que os países da Europa Continental fizessem qualquer tipo de comércio com os ingleses. Para isso criou um decreto que constituía o “bloqueio continental”.

    Dom João não teve outra alternativa senão fugir com sua família e parte da corte para as terras brasileiras, vieram um total de dez mil pessoas, em 29 de novembro de 1807.
    Quais foram os acontecimento que a Família real Portuguesa fez no Brasil: estímulo ao estabelecimento de indústrias no Brasil, construção de estradas, cancelamento da lei que não permitia a criação de fábricas no Brasil, reformas em portos, criação do Banco do Brasil e instalação da Junta de Comércio.O rei trouxe a Missão Francesa para o Brasil, estimulando o desenvolvimento das artes em nosso país. Criou o Museu Nacional, a Biblioteca Real, a Escola Real de Artes e o Observatório Astronômico. Vários cursos foram criados (agricultura, cirurgia, química, desenho técnico, etc) nos estados da Bahia e Rio de Janeiro. Geovana Umbelino.

    ResponderExcluir
  8. Como portugal ainda fazia comércio com a Inglaterra, para não ficar fraca econômicamente, após o bloqueio continental, Napoleão Bonaparte colocou sobre ameaça invadir Portugal. Diante disso o Rei D.João VI, pediu ajuda para a sua aliada, que era a Inglaterra, para eles escoltarem o rei até o Brasil onde seria a nova corte de Portugal. Chegando no Brasil os Ingleses pediram para que Portugal fizesse a abrição dos portos para as nações amigas de Portugal, e isso iria concluir de que Portugal poderia fazer comércio com a Inglaterra e assim aumentando ainda mais a potência da época.

    Os motivos da vinda da Família Real ao Brasil, foi justanente por estarem sobre a ameaça de invasão de Napoleão ao território português.

    Sobre as mudanças no mundo, e principalmente no Brasil foi a vinda da família Real ao nosso país e com isso ocorreu a abrição dos portos para as nações amigas de Portugal já citada acima, isso benefíciou especificadamente a Inglaterra, enriquecendo ainda mais seu país, e no Brasil, D.João VI tomou algumas medidas, como o apoio a trazerem as industrias para o Brasil, ele até cancelou a lei em que não era permitido a criação de fábricas no Brasil, a construção de estradas, na parte de cultura, ele trouxe com ele As Missões Artisticas Francesas para o Brasil, isso entre outras muitas coisas auxiliaram para o desenvolvimento do nosso país.

    Lucas Rafael, 8 ANO.

    ResponderExcluir

  9. Motivos da Família Real ter vindo para o Brasil:
    No século XIX, Napoleão Bonaparte tornou-se soberano do império da França, seu objetivo era apoderar-se de toda a Europa. Para alcançar tal intento devassou o exército de diversos países, porém o mesmo não conseguiu com as forças militares e navais da Inglaterra. Para enfrentá-los, Napoleão decretou o Bloqueio Continental - determinação que vetava os países da Europa de negociar com a Inglaterra.
    Neste momento da história, Portugal era governado pelo provável herdeiro da coroa, Dom João. Portugal e Inglaterra eram velhos cúmplices, o que deixou Dom João em uma posição delicadíssima. A situação dele não era nada fácil, o que fazer? ir contra Napoleão e correr o risco de uma invasão francesa ou esperar para ver a Inglaterra invadir o Brasil? Nem uma nem outra atitude era fácil para D. João.
    A saída encontrada, em conluio com os ingleses, foi a mudança da comitiva portuguesa para o Brasil. Em novembro de 1807, sob proteção da força naval inglesa, D. João, sua linhagem e a nobreza que o rodeava mudaram-se para o Brasil. Aportaram em território brasileiro cerca de quatorze navios com 15 mil pessoas. Após a chegada da linhagem Real, Dom João passou alguns dias em Salvador, quando tomou duas decisões que deram uma injeção de ânimo na economia brasileira: determinou a abertura dos portos aos países amistosos e a autorização para a instalação de indústrias, antes coibida por Portugal.
    Quais foram os resultados da Família Real no Brasil:
    Surgiram várias fábricas e trabalhos manuais em tecido, mas que não foram adiante devido à confluência dos tecidos ingleses. Entre outros feitos importantes para a economia, pode-se citar a construção de estradas, melhorias nos portos e o ingresso do chá no país. A atividade agrícola voltou a crescer. No início do século XIX, o açúcar e o algodão subiram no ranking das exportações, ficando em segundo lugar, e o café subiu para o topo nas exportações brasileiras.
    Missões Francesas:
    No início do século XIX, os exércitos de Napoleão Bonaparte invadiram Portugal , obrigando D. João VI (rei de Portugal), sua família e sua corte (nobres, artistas, empregados, etc.) a virem para o Brasil.
    D. João VI, preocupado com o desenvolvimento cultural, trouxe para cá material para montar a primeira gráfica brasileira, onde foram impressos diversos livros e um jornal chamado A Gazeta do Rio de Janeiro. Nesse momento, o Brasil recebe forte influência cultural europeia, intensificada ainda mais com a chegada de um grupo de artistas franceses (1816) encarregado da fundação da Academia de Belas Artes (1826), na qual os alunos poderiam aprender as artes e os ofícios artísticos. Esse grupo ficou conhecido como Missão Artística Francesa. Os artistas da Missão Artística Francesa pintavam, desenhavam, esculpiam e construíam à moda europeia. Obedeciam ao estilo neoclássico (novo clássico), u seja, um estilo artístico que propunha a volta aos padrões da arte clássica (greco-romana) da Antiguidade.


    Maria Júlia Barco Marcon, 8 ano.

    ResponderExcluir
  10. A familia Real Portuguesa veio para o Brasil devido a diversos motivos, já que Napoleão decretou o Bloqueio Continental para enfraquecer a Inglaterra, nenhum dos países podiam fazer comercio com ela, Portugal não queria aderir esse bloqueio pois na época a Inglaterra era umas das principais fontes de comercio com Portugal uma prova disso e o tratado dos Panos e Vinhos, ao furar o Bloqueio, Napoleão resolveu invadir Portugal com isso a familia real fugiu para o Brasil com mais ou menos 15.000 nobres juntos.
    Com a chegada da familía real ao Brasil, a primeira coisa que fizeram foi a abertura dos portos aos países amistosos e a autorização para a instalação de indústrias, com isso começou um certa "industrialização" no Brasil com a abertura de novas fabricas, ja que o rei estava por aqui começou a surgir escolas e muitas mais coisas.
    Bloqueio Continental : O principal objetivo do Bloqueio Continental foi enfraquecer a economia Britanica, eles resolveram colocar o Bloqueio Continental em ação já que a França não conseguia ganhar da Inglaterra nos mares, foi decretado em 21 de novembro de 1806 que nenhuma país da Europa poderia fazer comercio com a Inglaterra, sob ameaça de invasão da França o governo de Portugal se recusava á aderir ao bloqueio devido á sua aliança com a Inglaterra, da qual era extremamente dependente. Suas riquezas vinham de suas colônias, principalmente do Brasil. Com um reino decadente, Portugal não tinha como enfrentar Napoleão, então Portugal ficou entre romper com a Inglaterra ou a França, eles romperam com a França e fugiram para o Brasil.

    ResponderExcluir
  11. Tratado de foitainebleau
    Depois que a França fracassou na invasão a Inglaterra, Napoleão decidiu obrigar a Europa a não fazer comercio com a Inglaterra, porque se não ele iria invadir o pais que se opusesse contra ele. (isso tudo se chama bloqueio continental)Mais Portugal fez comercio com a Inglaterra mesmo assim.
    Assim em 27 de outubro de 1807,Napoleão, que governava a França assinaram o tratado de fontainebleau, para a primeira invasão francesa a Portugal. Pelo tratado, quando Portugal fosse conquistado seria dividido para ambos países e as tropas fransesas poderiam passar pela Espanha e atacar por terra.
    Fonte:WWW.oieduca.com.br
    Por que a família real veio ao Brasil?
    Napoleão decreta o bloqueio continental, mais como Portugal era aliado da Inglaterra ele quebra o bloqueio e vai para o Brasil estrategicamente com navios ingleses protegendo-o e se Portugal não fizesse comercio com a Inglaterra os navios que vieram para proteger iriam atacar, porque Portugal seria atacada por Napoleão.
    Fonte:fiz de acordo com suas aulas
    O que aconteceu quando a coroa portuguesa veio ao Brasil?
    Esta deslocação de poder para o Brasil também iniciou o movimento independentista e consequentemente a separação do Brasil do restante do império português, não sem que a corte portuguesa sonhasse com o reino unido de Portugal, Brasil e argarves.
    Fonte:aeolino.blogspot.com.br

    Artur 8 ano

    ResponderExcluir
  12. Sem condições militares para enfrentar os franceses, o príncipe regente de Portugal, D. João, resolveu transferir a corte portuguesa para sua mais importante colônia, o Brasil. Contou, neste empreendimento, com a ajuda dos aliados ingleses.Nos quatorze navios, além da família real, vieram centenas de funcionários, criados, assessores e pessoas ligadas à corte portuguesa. Trouxeram também muito dinheiro, obras de arte, documentos, livros, bens pessoais e outros objetos de valor e deu resultado como : O príncipe regente desembarcou em Salvador em 22 de janeiro de 1808. Ainda em Salvador Dom João abriu os portos do Brasil aos países amigos, permitindo que navios estrangeiros comerciassem livremente nos portos brasileiros. Essa medida foi de grande importância para a economia brasileira
    D João VI
    Filho de D. Maria I e de D. Pedro III, casou em 1785 com D. Carlota Joaquina, Infanta de Espanha, filha de Carlos IV e de Maria Luísa de Parma.A partir de 1792, assegurou a direcção dos negócios públicos, devido à doença mental da mãe, primeiro em nome da rainha, a partir de 1799, em nome próprio com o título de Príncipe Regente, sendo aclamado rei em 1816. O seu reinado decorre numa época de profundas mutações à escala mundial e à escala nacional: Revolução Francesa e a consequente guerra europeia, Bloqueio Continental, campanha do Rossilhão, guerra com a Espanha e a perda de Olivença, invasões francesas, fuga da corte para o Brasil onde permaneceu durante 14 anos, revolução liberal e a independência do Brasil. Foi a derrocada de um mundo e o nascimento de outro, mudança que D. João VI não quis ou não soube compreender. Em 1821 o rei é forçado a regressar a Portugal, devido ao triunfo da revolução de 1820 e, em 1822, jura a constituição, que vigoraria apenas durante alguns meses. Seguem-se a Vila-Francada em 1823 e a Abrilada em 1824, movimentos absolutistas encabeçados por D. Miguel.
    Ludmila Rúbio 8 Ano

    ResponderExcluir















  13. Carlota Joaquina foi a primeira filha do rei Espanhol Carlos 4º com Dona Maria Luísa de Bourbon, ela nasceu a 25 de abril de 1775 na cidade de Aranjuez. Aos dez anos foi obrigada a contrair matrimônio, por meio de procuração, com o príncipe português D. João, segundo filho da rainha Maria I, a Louca. O casamento de ambos deu-se por interesse das duas famílias, que ambicionavam um acordo entre os dois países. D. João veio a tornar-se príncipe regente e em seguida rei de Portugal, somente após a morte de seu primeiro irmão, D. José, adquirindo então o título de D. João VI. Dona Carlota era uma pessoa que se não se enquadrava nos padrões de beleza, era feia de nascimento, possuía um gênio muito forte e pretendia sempre impor suas vontades.
    Assaz cobiçosa, tentou de imediato mandar em seu esposo, porém este não se curvou aos seus desmandos, o que acarretou o afastamento entre ambos. Quando sua mãe adoece, com problemas de demência, D. João passa a viver no palácio de Mafra, ao seu lado, enquanto Dona Carlota permanece no palácio de Queluz junto à família real. Dona Carlota Joaquina deu à luz nove filhos, os quais foram batizados com os seguintes nomes: Maria Teresa, Antonio Pio, Maria Isabel Francisca, Pedro de Bragança - que viria a ser o futuro soberano do Brasil -, Maria Francisca, Isabel Maria, Miguel I, Maria da Assunção e Ana de Jesus. Veio para o Brasil contra sua vontade e assim que chegou ao Rio de Janeiro optou por habitar sempre distante do marido, em localidades campestres, como Botafogo, por exemplo. Somente em festividades públicas os dois eram vistos juntos.

    Seu humor variava muito, quando se encontrava de péssimo humor tinha a capacidade de mandar castigar com chicotadas os viandantes que não dobravam os joelhos quando ela passava com sua comitiva. O príncipe não podia colocar a sua autoridade em risco e procurava manter Dona Carlota sempre bem vigiada por agentes secretos, que contratava para lhe informar todos os passos da mesma.

    A princesa, com seu gênio voluntarioso, encontrava sempre um meio de comprar algum deles para lhe manter informada do que se passava no Palácio Real e na Quinta da Boa Vista. Um espião em particular ficou muito conhecido na época por trabalhar para ambos simultaneamente, Francisco Gomes da Silva, cujo apelido era Chalaça. Entre as várias informações relatadas ao príncipe, algumas eram irrelevantes, outras, porém, eram graves, como os vários amantes de sua mulher e as tramas que articulava contra o príncipe, no intuito de lhe tirar o poder das mãos. No ano de 1816, após o falecimento de D. Maria lª, Carlota Joaquina é declarada rainha.

    Quando retorna a Portugal, após a Revolta do Porto, torna pública e notória sua insatisfação para com o regime constitucional que impera, o que acarreta na invalidação de seu título honorífico português. Isolada na Quinta do Ramalhão, ela maquinou para o retorno do absolutismo, e após o falecimento de D. João VI, tentou convencer o filho D. Miguel a apossar-se da coroa, mas a tentativa foi frustrada, pois ela por direito pertencia a D. Pedro I, que posteriormente a reivindicaria. D. Carlota Joaquina vem a morrer no palácio de Queluz, em Lisboa, a 07 de janeiro de 1830.

    Anneliza, 8ºano.

    ResponderExcluir
  14. No ano de 1806, o governo napoleônico impôs o Bloqueio Continetal à Europa. Segundo esse decreto, a França exigiu que nenhuma nação europeia tivesse relações comerciais com a Inglaterra
    O príncipe regente de Portugal, Dom João VI, não acatou a ordem francesa.. Em reposta à intransigência portuguesa, Napoleão ameaçou invadir o território português. Pressionado por Napoleão, o governo português acabou aceitando um plano da Inglaterra para contornar essa situação.
    Os ingleses ofereceram escolta para que a família real portuguesa se deslocasse até o Brasil e garantiu que utilizaria de suas forças militares para expulsar as tropas napoleônicas do solo português. Em troca desses favores, Dom João deveria transferir a capital portuguesa para o Rio de Janeiro e estabelecer um conjunto de tratados.
    Não tendo melhores alternativas frente à proposta inglesa, em novembro de 1807, cerca de 15.000 súditos da Coroa Portuguesa sairam às pressas rumo ao Brasil. Dessa maneira, entre os anos de 1808 e 1821, o Brasil se tornou o centro administrativo do governo português.
    A morte do rei de Portugal D. José I em 1777 e a declaração de insanidade de D. Maria I em 1972, levam seu filho D. João e sua mulher, a espanhola Carlota Joaquina, ao trono português.
    Em 1807, para escapara das tropas napoleônicas, o casal se transfere às pressas para o Rio de Janeiro, onde a família real vive seu exílio de 13 anos. Foi contudo durante sua estadia que o Brasil deu o primeiro passo para sua autonomia econômica com a abertura dos portos, destacando-se ainda a fundação do Banco do Brasil e da primeira faculdade (a de Medicina e Cirurgia) sem falar nas preocupações com a sanidade de sua mãe e com o comportamento histérico de sua exótica mulher.
    Amanda 8 ANO

    ResponderExcluir
  15. No século XIX, Napoleão Bonaparte tornou-se soberano do império da França, seu objetivo era apoderar-se de toda a Europa. Para alcançar tal intento devassou o exército de diversos países, porém o mesmo não conseguiu com as forças militares e navais da Inglaterra. Para enfrentar-los, Napoleão decretou o Bloqueio Continental - determinação que vetava os países da Europa de negociar com a Inglaterra.
    Neste momento da história, Portugal era governado pelo provável herdeiro da coroa, Dom João. Portugal e Inglaterra eram velhos cúmplices, o que deixou Dom João em uma posição delicadíssima. A situação dele não era nada fácil, o que fazer? ir contra Napoleão e correr o risco de uma invasão francesa ou esperar para ver a Inglaterra invadir o Brasil? Nem uma nem outra atitude era fácil para D. João.

    Aportaram em território brasileiro cerca de quatorze navios com 15 mil pessoas. Após a chegada da linhagem real, Dom João passou alguns dias em Salvador, quando tomou duas decisões que deram uma injeção de ânimo na economia brasileira: determinou a abertura dos portos aos países amistosos e a autorização para a instalação de indústrias, antes coibida por Portugal.

    Surgiram várias fábricas e trabalhos manuais em tecido, mas que não foram adiante devido à confluência dos tecidos ingleses. Entre outros feitos importantes para a economia, pode-se citar a construção de estradas, melhorias nos portos e o ingresso do chá no país. A atividade agrícola voltou a crescer. No início do século XIX, o açúcar e o algodão subiram no ranking das exportações, ficando em segundo lugar, e o café subiu para o topo nas exportações brasileiras.

    Após sair de Salvador, o rei foi para o Rio de Janeiro, lá chegando em 08 de março de 1808, transformando a cidade em residência fixa da corte portuguesa. A chegada da família real ao Brasil e sua instalação no Rio de Janeiro trouxeram para a colônia o status de Reino Unido de Algarves. Coube à D. João instituir alguns ministérios, entre eles o da Guerra, da Marinha, da Fazenda e do Interior. Estabeleceu órgãos fundamentais para o bom andamento do governo, como o Banco do Brasil, a Casa da Moeda, a Junta Geral do Comércio e o Supremo Tribunal. As melhorias não foram só econômicas, mas também culturais e educacionais. A Academia Real Militar, a Academia da Marinha, a Escola Real de Ciências, de Artes e Ofícios, a famosa Academia de Belas-Artes e dois colégios de Medicina e Cirurgia, no Rio de Janeiro e em Salvador, foram algumas das contribuições recebidas com a vinda da realeza para o Brasil. Entre outras benfeitorias, pode-se citar a criação do Museu Nacional, do Observatório Astronômico, a Biblioteca Real - combinação de diversos livros e documentos que vieram de Portugal -, a estréia do Real Teatro de São João e o surgimento do Jardim Botânico.

    Marlon

    ResponderExcluir
  16. A França não conseguiu derrotar a Inglaterra em uma disputa militar, fato pelo qual Napoleão proibiu que os países da Europa Continental fizessem qualquer tipo de comércio com os ingleses. Para isso criou um decreto que constituía o “bloqueio continental”.Dom João não teve outra alternativa senão fugir com sua família e parte da corte para as terras brasileiras, vieram um total de dez mil pessoas, em 29 de novembro de 1807.Com o falecimento da mãe de D. João, a então rainha de Portugal, este teve que assumir o trono do país, administrando o mesmo daqui do Brasil, enviando suas ordens através dos mensageiros. Mas em 1820 aconteceu uma revolta em Portugal e D. João teve que retornar ao país, deixando seu filho, D. Pedro I, como Príncipe Regente do Brasil.
    a situação de Portugal refletia com toda a clareza a impossibilidade de manter o status Tanto movimento por aqui provocou a indignação do outro lado do Atlântico. Afinal, o Brasil deixara de ser uma simples colônia. Nosso país tinha sido elevado à condição de Reino Unido a Portugal e Algarves. Quer dizer, enquanto a família real esteve por aqui, a sede do reino foi o Rio de Janeiro, que recebeu muitas melhorias. Enquanto isso, em Portugal, o povo estava empobrecido com a guerra contra Napoleão e o comércio bastante prejudicado com a abertura dos portos brasileiros. Os portugueses estavam insatisfeitos e, em 1820, estourou a Revolução Liberal do Porto, cidade ao norte de Portugal. Os rebeldes exigiram a volta de dom João e a expulsão dos governantes estrangeiros. Queriam também que o comércio do Brasil voltasse a ser feito exclusivamente pelos comerciantes portugueses. Cedendo às pressões de Portugal, dom João voltou em 26 de abril de 1821. Deixou, contudo, seu filho dom Pedro como regente do Brasil. Assim, agradava aos portugueses e aos brasileiros que tinham lucrado com a vinda da corte portuguesa para o Brasil, especialmente com a abertura dos portos
    Bárbara 8ºano.

    ResponderExcluir
  17. A vinda da família real para o Brasil foi porque Napoleão estabeleceu o bloquei continental como comércio com a Inglaterra,e Portugal não respeitou o bloqueio continental e Napoleão falou que quem não respeita-se ele ia invadir por isso Portugal como estava endividado com a Inglaterra fez comercio por isso Napoleão invadiu
    General Janot
    Ele era filho de lavrador, alistou-se num regime voluntario em 1791 ficou conhecido por Janot la Tempête devido a sua temeridade foi promovido por Napoleão como capitao participou pao muitas brigadas e comandou seu exercito de 500 homens.
    Promovido a capitão, foi nomeado coronel-general uma das mais altas patentes de Napoleão e depois de reprimir uma selvática revolta popular é nomeado Governador Militar de Paris.
    em 1807 ele foi comandanta de chefe de corpo de observaçao da gironda
    Voltou à Península, ainda em 1808, como comandante do 8º Corpo do Exército de Espanha, que sob o comando de Napoleão reconquistou Madrid e o norte da Península. Em 1809 é comandante do Exército de Reserva da Alemanha na guerra contra a Áustria. Em 1810 comanda de novo o 8º Corpo no Exército de Portugal de Massena, sendo ferido gravemente em Rio Maior. Em 1812 é comandante do 2º Corpo do Grande Exército que invade a Rússia. Tendo mostrado falta de decisão na Batalha de Valoutina,


    Arao Lucas,8ºano.

    ResponderExcluir
  18. A família real veio para o Brasil, pra fugir dos conflitos entre Inglaterra e Portugal, Napoleão Bonaparte declarou o bloqueio continental que determinava que os países da Europa deveria fechar seus portos e parar de fazer comércio com a Inglaterra.
    Portugal não podia participar desse bloqueio, porque nessa época a Inglaterra era o país que mais comercializava com Portugal, por isso o rei de Portugal continuou comercializando com a Inglaterra.
    Com isso o exercito Frances começou a mandar tropas para invadir Portugal.
    A família real Portuguesa , fugiu para o Brasil, e daqui governavam Portugal.Quando eles chegaram em Salvador Dom João abriu os portos brasileiros para os países amigos que fez os navios estrangeiros comerciassem nos portos brasileiros.
    Com instalação da família real, o Rio de Janeiro se tornou a sede do império português. Abriram-se indústrias têxtil mais não tiveram sucesso por causa dos tecidos ingleses, construção de estradas , produção agrícola voltou a crescer.


    Maria Fernanda 8º ano

    ResponderExcluir
  19. Porque a família real veio para o Brasil ? Portugal estava preste a ser invadido pelas tropas de Napoleão Bonapate. Portugal sem condições para enfrentar, o príncipe regente D. João resolveu vir para colônia, o Brasil com a corte portuguesa.
    Alem da família real, vieram criados e pessoas com muita importância para a corte.
    Trouxeram obras de artes, documentos, bens pessoais e objetos de valores.
    A corte portuguesa ficou instalada no Rio de Janeiro, outros foram para Salvador, uma das primeiras coisas de D. João foi abrir o comercio brasileiro para os países amigos de Portugal. O principal pais beneficiado foi a Inglatera que passou a ter vantagens comerciais. Também foram adotados varia medidas econômicas, também foi trazido a Missão Francesa que estimulo o desenvolvimento das artes.
    Durante a permanência da corte no Brasil, o Rio de Janeiro passou por varias transformações culturais. Foi criado a Academia Real de Belas Artes, Biblioteca Real, Jardim Botanico, Teatro Real, escola de medicina do Rio de Janeiro, Imprensa Real, o primeiro jornal A Gazeta do Rio de Janeiro, Banco do Brasil, vários cursos ( agronomia, química, desenhos técnicos, cirurgia, etc ).
    A VOLTA DA FAMILIA REAL PARA PORTUGAL
    D. João VI voltou para Portugal para assumir o trono, pois a rainha D. Maria I,sua mãe tinha falecido. Seu filho D. Pedro I assumiu o comando do Brasil, como príncipe regente pois ainda não teria idade suficiente para poder reinar.
    D. João sonhava que, com sua morte, pudesse D. Pedro herdar o trono de Portugal e manter a união dos dois reinos.
    Giovanna Morais.

    ResponderExcluir
  20. LEGAL A BARRA LATERAL CIDADE COM MENOS QUE DEZENAS DE MILHARES MAS PARECE TER UMA EDUCAÇÃO BASICA RELATIVAMENTE BOA COMPARADO A CIDADES DE PORTE SIMILAR DO CENTRO-NORTE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CENSURADO AGAIN,
      obrigado pela sua colaboração. O único problema é que esta postagem é um pouco antiga e não consegui encontrar essa barra lateral.

      Mesmo assim, obrigado novamente!

      Abraço!

      Excluir

Obrigado pelo seu comentário, ele estará visível assim que for aprovado.

Comentários anônimos podem ser publicados, porém não serão respondidos. Então, se quiser uma resposta, identifique-se. Ok?

Mais uma coisa, dependendo da correria do dia a dia, pode ser que eu demore um pouquinho para responder, mas pode ficar tranquilo que, cedo ou tarde, responderei.

Um abraço do professor Júnior