Música na Aula - Repente

23:40 Junior Lopes 0 Comentários

Brasil

Repente

Plebe Rude


Começaremos o conteúdo sobre a regionalização do espaço brasileiro no 7º ano com uma música.




A música é de uma banda contemporânea à Legião Urbana do Renato Russo, além de ambas serem conterrâneas, surgiram em Brasília - DF, numa época em que o rock fervilhava por aqueles lados. A banda é Plebe Rude e a música é 'Repente'.


O mais legal dessa música é que nos leva a uma viagem por todas as regiões do nosso país, comentando algumas características, brincando com nomes de cidades e às vezes até fazendo referência cultural aos ritmos de cada local.

Você pode conhecer a letra logo abaixo e, para ouvir a música clique aqui (depois clique no play na janela que abrir). Clique aqui também para conhecer o site oficial da Plebe Rude.




Repente

Plebe Rude


De repente distância
Diferenças regionais
De repente ignorância
O estado das capitais

No nordeste a terra descansa em paz
Longe da Fortaleza não está mal
João é uma Pessoa comum e feliz
No horizonte tem as luzes de Natal

Dona Terezina vira pro lado
E pergunta se seu São Luiz está bem
Olhando na mesma direção cristã
Vendo o meninozinho de Belém

Eu procuro além dos Recifes
Eu só quero uma visão melhor
Se não der de ver, de Aracajú
Vou ver se a vista é boa em Maceió

A negligência vem mais de cima
Estado, Deus, país, tanto faz
A esperança é o que sustenta
E o improviso é um dito popular

A festa da raça e da tradição
Da cidade baixa subo de elevador
Senhor do Bonfim, por favor veja por mim
Vai ver me entendo em São Salvador

Em nome do pai e do Espírito Santo
De Vitória ganho Minas Gerais
Terra fértil eu quero, mas um horizonte belo
O sol nascente se põe em Goiás

De Cuiabá, Campo Grande
Posso ouvir tiros da caça animal
Mas o que vejo é a ameaça
Refletida nas águas do Pantanal

De repente um repentista
A rima de improvisar bem
Sem querer um repentista
Faz prosa com o pouco que tem

Na Amazônia, Roraima, Acre, Rondônia
Índio faz canoa com poucos paus
Então alguma coisa errada, floresta devastada
Mas francamente que zona perto de Manaus

Pra atingir em cheio nosso coração
Eu chego no Distrito Federal
Uma vista honrada e privilegiada
Agora entendo porque o país esta mal

Passo por Curitiba e Floripa
E navego o Rio Grande do Sul
Nas margens do lago, terra abençoada
Que diferença faz água e dinheiro

De repente um repentista
Espremido em uma nação
Por mais óbvia que for a rima
Uníssono na mesma canção

Vasto e cinza e olhos ardendo
Por Congonhas entro em SP
Sei que há magia, mas não estou vendo
Por Guarulhos saio sem explicar por que

Aporto no Rio, fico observando
Tá apertado entre a serra e o mar
O que São Sebastião, não tinha noção
Já previa o Estácio de Sá

O problema que é muito grande
Tanto contraste não tem igual não
Do alto do morro e desse tamanho
Me deixe deixar a minha observação

Meus brasileiros e minhas brasileiras
Hoje eu me dirijo a toda essa nação
Depois de toda a minha andança
Vi que o importante é manter o pé no chão

O que eu quero é o porquê do improviso
Fiz a promessa do que eu vou encontrar
Com esperança a gente vai levando
E o improviso...

É um dito popular!

De repente um repentista
Espremido em uma nação
Por mais óbvia que for a rima
Uníssono na mesma canção

De repente um repentista
A rima de improvisar bem
Sem querer um repentista
Faz prosa com o pouco que tem






0 comentários:

Obrigado pelo seu comentário, ele estará visível assim que for aprovado.

Comentários anônimos podem ser publicados, porém não serão respondidos. Então, se quiser uma resposta, identifique-se. Ok?

Mais uma coisa, dependendo da correria do dia a dia, pode ser que eu demore um pouquinho para responder, mas pode ficar tranquilo que, cedo ou tarde, responderei.

Um abraço do professor Júnior