Como orientar os filhos em cada fase escolar?

14:00 Junior Lopes 0 Comentários

Aqui tem a imagem de um ponto de interrogação...

Como orientar os filhos 

em cada fase escolar? 


Esta matéria foi integralmente reproduzida da publicação Maxi In Família do Sistema Maxi de Ensino (Ano 4, Número 7, Setembro de 2014)

Durante a vida estudantil, os pais acompanham as diferentes fases de crescimento e desenvolvimento cognitivo, comportamental e afetivo dos filhos. A cada mudança de ano, as crianças e os adolescentes vivenciam novos desafios e sentimentos, o que exige dos pais orientação e apoio adequados.



Para auxiliar os pais no acompanhamento das diversas fases escolares do filho, o Jornal Maxi In Família entrevistou, com exclusividade, a neuropsicopedagoga Helenita Muller. Confira as dicas e sugestões da especialista.


O que fazer em cada fase?

a) Maternal: Os pais devem compreender que o processo de adaptação é progressivo, mantendo-se tranquilos se a criança chorar. Certamente, minutos depois, o bebê se acomoda e aceita a mudança de ambiente. É necessário agir com naturalidade, pois pais superprotetores podem deixar os filhos ansiosos.

b) Educação Infantil: Se a criança vai à escola pela primeira vez, é importante conversar com ela, mostrando-lhe que essa é uma situação nova, e que ela será acolhida. Muita gente pensa que criança pequena não é capaz de assimilar tais informações. Errado! Quanto mais os pais explicarem, mais tranquilos e seguros os filhos ficarão.

c) Ensino Fundamental 1: É importante dizer ao filho que ele está iniciando uma fase de novas conquistas no mundo: novos amigos, novas rotinas e tudo novo! Dizer que será novo tornará as mudanças menos impactantes.

d) Ensino Fundamental 2: Nessa fase, as crianças sofrem mais com a transição, tendo insegurança e desconforto, sentindo o peso da autonomia e tendo menos atenção dos professores. Mas, por outro lado, há pontos positivos, como o avanço, a superação, a liberdade para experimentar e fazer as coisas sozinhas. Para ajudar o filho, os pais devem conversar sobre essas mudanças e a importância de ter mais responsabilidade. A participação dos pais é fundamental. Vale elaborar um quadro grande, com os horários e os dias das aulas, para que o filho não esqueça nenhum material nem qualquer atividade.

e) Ensino Médio: Os pais não devem transferir os próprios sonhos para os filhos. Se você sempre quis ser cientista, não obrigue seu filho seguir esse ideal. Isso certamente irá frustrá-lo. Nessa fase, o diálogo também é determinante. Converse sobre as mudanças, o aumento das responsabilidades e conscientize-o da importância de conhecer as próprias aptidões para a escolha da carreira profissional.

f) Terceiro e Curso Pré-vestibular: Não pressione seu filho. A escolha de uma profissão é para toda a vida. Fazer o que gosta é importante para uma vida saudável e feliz.

Motivos do choro e da birra

Na infância, na maioria das vezes, o choro e a birra estão ligados à insegurança que os pais demonstram aos filhos, que acaba sufocando a criança e até mesmo fazendo que crie situações negativas. A confiança na escola, que certamente escolheram por ser a melhor opção para o filho, deve ser passada para os pequenos. A insegurança transmitida pelos pais vai deixar o filho tenso e com receio de se separar da família. Portanto, manter a calma só ajudará na adaptação.

Desconfiança e culpa

Os pais precisam confiar que a escola fará bem para seu filho. Não se deve pensar que o melhor seria ficar o tempo todo em casa, com a família. Pesquisas mostram que as crianças que entram na escola mais cedo são mais independentes do que as que ingressam com idade mais avançada, tendo mais recursos emocionais e sociais para conviver em grupo.

Atitudes dos pais que dificultam

Muitos pais não percebem que seus filhos estão crescendo e acabam tratando-os como bebês, impedindo a criança de desenvolver sua autonomia. É inevitável que diante de tantas adversidades de um mundo em constante mutação e com tantas intercorrências, os pais busquem na escola e na família um modo de proteger os filhos das ameaças do mundo contemporâneo. Muitos têm a intenção de criar um universo perfeito em que nada ou muito pouco pode atingir o filho, seu bem mais precioso, impedindo-o de obter um bem ainda mais valioso: a autonomia. É preciso desenvolver a autonomia, pois é ela que fortalece a autoestima, a segurança e a satisfação pessoal.


Como os pais devem agir?

Os pais devem caminhar lado a lado com a escola, em parceria, confiando na instituição que escolheram para o filho. É fundamental acompanhar as tarefas de casa, comparecer à escola nas ocasiões especiais – eventos, festas, apresentações e outras – e atender ao chamado de comparecimento à escola, sempre que o receber.


Esta matéria foi integralmente reproduzida da publicação Maxi In Família do Sistema Maxi de Ensino (Ano 4, Número 7, Setembro de 2014)








0 comentários:

Obrigado pelo seu comentário, ele estará visível assim que for aprovado.

Comentários anônimos podem ser publicados, porém não serão respondidos. Então, se quiser uma resposta, identifique-se. Ok?

Mais uma coisa, dependendo da correria do dia a dia, pode ser que eu demore um pouquinho para responder, mas pode ficar tranquilo que, cedo ou tarde, responderei.

Um abraço do professor Júnior