Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Atividade - O Nome da Rosa

Atividade - Filme "O nome da rosa". Sugestão para o 1º Ano do Ensino Médio

Questões dissertativas de História com gabarito: Absolutismo

Absolutismo - www.professorjunioronline.com


QUESTÕES DISSERTATIVAS DE HISTÓRIA COM GABARITO: ABSOLUTISMO

CORREÇÃO DE ATIVIDADES APLICADAS EM SALA




Correção de atividades aplicadas em sala.
Perguntas e respostas.


  • Na passagem da Idade Média para a Idade Moderna, qual era a relação entre a burguesia, o clero e a nobreza no âmbito da política do reino?
    • A burguesia conquistava mais poderes econômicos, decorrentes do desenvolvimento do comércio e das cidades. Contudo, esse poder não se refl etia na vida política do reino, que era dominado pelos membros da aristocracia e do clero, ambos agraciados pela monarquia com privilégios fiscais e nomeação para cargos administrativos.
  • Leia as frases a seguir e corrija as que apresentam erros.
    • I. Os reis, mesmo governando a sociedade, sempre tiveram seus poderes limitados.
    • II. Os poderes monárquicos foram constituídos com a ajuda de pensadores como Maquiavel.
    • III. Os poderes do rei eram limitados por vontade divina.
    • IV. Para Thomas Hobbes, era o soberano quem deveria controlar a sociedade.
    • V. A maioria das monarquias absolutistas garantia seu poder com base na ideia do “direito divino”.
      • Frase I: O poder monárquico variou de intensidade ao longo do tempo. Assim, se na Idade Média muitos monarcas tinham seus poderes bastante limitados, no absolutismo reuniram as condições ideais para exercerem seus poderes de forma ampla.
      • Frase III: a vontade divina foi justamente uma das justificativas utilizadas para defender o absolutismo.
  • Comente sobre a seguinte frase: O Estado moderno europeu se configurou com base nas monarquias absolutistas que não só concentravam o poder político, mas também ditavam os rumos da economia.
    • O poder monárquico no absolutismo ganhou dimensões tão expressivas que levou os monarcas a exercerem o controle sobre a vida política, econômica e até cultural da população. Para isso, eles contavam com: o apoio da burguesia, que se desenvolvia e gerava rendas para os reinos, seguindo os preceitos mercantilistas; o controle de exércitos profissionais e nacionais que defendiam os Estados contra as ameaças externas; a elaboração de códigos simbólicos que reafirmavam o poder absolutista; e o apoio das autoridades clericais, que sustentavam discursos e teorias que respaldavam esse poder e que criavam os cenários ideais para a administração dos reinos.
  • Cite os preceitos básicos do mercantilismo.
    • Intervenção do Estado na economia, taxação dos produtos importados, balança comercial favorável e metalismo (acúmulo de metais preciosos, como ouro e prata).
  • Quem foram os principais críticos do absolutismo? Explique.
    • Os protestantes (na França, huguenotes), pois foram alvo de intensa perseguição por parte das autoridades reais comandadas pela monarquia absolutista.

-------------------------------

-------------------------------


  • A formação do Estado nacional em Portugal representou o fim do feudalismo naquele reino? Explique.
    • Não, pois elementos do feudalismo sobreviveram a essa consolidação por meio de privilégios concedidos à nobreza e ao clero. Além disso, a divisão dos territórios era feita entre uma nobreza relativamente independente e as leis variavam de acordo com a condição social dos indivíduos.
  • Qual era a particularidade do absolutismo português em comparação com outros governos absolutistas, como o da Espanha?
    • O Estado absolutista português se envolvia até em questões religiosas, tomando para si as prerrogativas de julgar, torturar e condenar pessoas acusadas de heresias, tirando do Tribunal do Santo Ofício esse poder. Outra diferença era o controle exercido sobre o direito da Igreja de possuir terras e cobrar dívidas. Para isso, era preciso obter a autorização do monarca português.
  • Qual era a relação entre o poder político e o poder religioso no absolutismo?
    • Esses dois poderes confluíam na figura do monarca que, no absolutismo, era o detentor do poder político e, em muitos casos, espiritual, como fica evidente nas teorias dos pensadores mencionados na aula anterior desta unidade.
  • Associe o Massacre da Noite de São Bartolomeu ao desenvolvimento de um pensamento crítico ao absolutismo na segunda metade do século XVII na França.
    • Esse foi um dos eventos mais violentos entre católicos e protestantes na França, culminando na morte de milhares de protestantes em Paris e outras cidades do reino. Críticos do sistema político, os huguenotes, até aquele momento, poupavam a monarquia francesa de suas críticas, mas após a eclosão desse conflito passaram a atacá-la, divulgando suas ideias principalmente nos centros urbanos.
  • Na capa da obra Leviatã de Thomas Hobbes, publicada em 1651, há a representação de um líder com a cabeça de um rei e o corpo formado pelas figuras de diversos súditos. Explique qual a relação dessa imagem com o pensamento de autor. 
    • Ao representar a imagem do soberano sendo formada por seus súditos, a ilustração faz alusão à importância do estabelecimento de um contrato entre súditos e governante em prol do combate à tirania.
  • Por que as redes de comércio paralelas se desenvolveram sob o domínio do Estado absolutista português?
    • Porque a monarquia absolutista, ao tentar controlar todos os aspectos políticos e econômicos do reino, limitava o crescimento econômico de quem se dedicasse ao comércio em seus domínios coloniais. A partir disso, alguns negociantes decidiram criar suas próprias redes de comércio alheias ao controle da Coroa.



Comentários

Conteúdo Correspondente