Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Todas as bandeiras da Copa do Mundo Qatar 2022 para download

TODAS AS BANDEIRAS DOS PAÍSES PARTICIPANTES DA COPA DO QATAR BANDEIRAS EM ALTA RESOLUÇÃO DE TODOS OS PAÍSES PARTICIPANTES DA COPA DO MUNDO FIFA DE FUTEBOL NO QATAR EM 2022 ARQUIVOS PARA DOWNLOAD Fifa World Cup Qatar 2022

Prova de História - 3º ano - com gabarito - Recuperação 3º bim/2022

Prova de História - 3º ano - www.professorjunioronline.com


Prova de História - 3º ano - com gabarito - Recuperação 3º bim/2022 



Prova de História - 3º ano - Ensino Médio - Com gabarito


Conteúdo da prova: Iluminismo; Revolução Industrial
Série/Turma: 3º Ano - Ensino Médio
Bimestre: 3º - Recuperação bimestral
Ano: 2022
Gabarito: Sim, para as objetivas




Abaixo, transcrição da prova de História - 3º ano - Ensino Médio - 3º bimestre, com gabarito. Arquivo para download e Gabarito das objetivas após a transcrição.


Transcrição da Prova

1. Cite três teóricos iluministas e, ao menos, uma característica do pensamento de cada um deles.

2. Explique o que foi o Iluminismo e como ele influenciou movimentos revolucionários burgueses.

3. Cite os principais motivos que levaram a Inglaterra a ser pioneira na Revolução Industrial e explique dois deles.

4. Cite e explique as principais mudanças sociais que ocorreram com a Revolução Industrial.

5. No contexto da Revolução Industrial, cite e explique as principais mudanças que ocorreram no processo produtivo e quais foram as consequências econômicas desse processo.

6. (Enem 2017) Fala-se muito nos dias de hoje em direitos do homem. Pois bem: foi no século XVIII — em 1789, precisamente — que uma Assembleia Constituinte produziu e proclamou em Paris a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Essa Declaração se impôs como necessária para um grupo de revolucionários, por ter sido preparada por uma mudança no plano das ideias e das mentalidades: o iluminismo. FORTES, L. R. S. O Iluminismo e os reis filósofos. São Paulo: Brasiliense, 1981 (adaptado). 
Correlacionando temporalidades históricas, o texto apresenta uma concepção de pensamento que tem como uma de suas bases a 
a) universalização do princípio da igualdade civil.
b) atualização da disciplina moral cristã. 
c) divulgação de costumes aristocráticos.
d) socialização do conhecimento científico. 
e) modernização da educação escolar.

7. Os enciclopedistas constituíram uma pequena elite de letrados e de técnicos, ligados à vida material como elementos de ponta do progresso econômico e também estreitamente vinculados ao aparato estatal, o qual se esforçaram por tornar melhor e mais racional. (...) Por toda a parte na Europa das Luzes, encontramos esta pretensão e esta vontade [dos filósofos] de pôr-se à testa e na direção da sociedade. VENTURI, Franco. Utopia e reforma no Iluminismo. Bauru: Edusc, 2003, p. 44, 239-240. 8. (Puccamp 2017) 
A elite intelectual a que o texto se refere foi responsável pela organização e publicação do mais importante veículo de divulgação das ideias do Iluminismo, no século XVIII: a Enciclopédia. Essa obra de inspiração racionalista, 
a) defendia a teoria de que a economia deveria funcionar por suas próprias leis e na eliminação da intervenção do Estado sobre os negócios comerciais que entravava as aduanas internas. 
b) propunha, de maneira geral, a imediata autonomização da Igreja em relação ao Estado e o combate às superstições e às diversas manifestações do pensamento dogmático eclesiástico. 
c) afirmava que a única esperança de garantir os direitos de cada um seria ceder todos esses direitos à comunidade civil para que a governasse de acordo com as ideias dos filósofos iluministas. 
d) defendia uma monarquia absolutista moderada por um governo baseado na razão e no ideário político e social vigente na época e não mais pelos pressupostos religiosos divulgados pela Igreja. 
e) estabelecia a tese segundo a qual as estruturas sociais eram determinadas pelas circunstâncias ambientais e pela liberdade como direito incontestável de todos os homens da época.

8. (Fgv 2016) “O gênero humano é de tal ordem que não pode subsistir, a menos que haja uma grande infinidade de homens úteis que não possuam nada.” (Dicionário filosófico, verbete Igualdade) “O comércio, que enriqueceu os cidadãos na Inglaterra, contribuiu para os tornar livres, e essa liberdade deu por sua vez maior expansão ao comércio; daí se formou o poderio do Estado.” (Cartas inglesas) 
Sobre os trechos de Voltaire, é correto afirmar que o autor 
a) critica a centralização do poder na medida em que ela breca a liberdade, impedindo o progresso das técnicas e a expansão do comércio que geram riqueza, e, ao mesmo tempo, aceita a propriedade como fundamento da igualdade.
b) crê, como filósofo iluminista do século XVIII, nas igualdades social e política, pois a filosofia burguesa elabora uma doutrina universalista que confunde a causa da burguesia com a de toda a humanidade. 
c) define, com suas ideias, os interesses da burguesia como classe, no século XVIII: o comércio como condição para a acumulação de capital, a riqueza como fator de liberdade e do poder de Estado e a propriedade ligada à desigualdade. 
d) considera que a burguesia não se constitui em uma classe no século XVIII, e ela precisa do poder do Estado centralizado para garantir a sua riqueza e, nessa medida, aproxima-se da nobreza para obter apoio político. 
e) defende, como representante da Ilustração, a liberdade ligada à ausência da propriedade e elabora princípios universais, com direitos e deveres para todos os homens, o que faz a igualdade econômica ser o fundamento da sociedade.

9. (Unesp 2013) Leia. Todo processo de industrialização é necessariamente doloroso, porque envolve a erosão de padrões de vida tradicionais. Contudo, na Grã-Bretanha, ele ocorreu com uma violência excepcional, e nunca foi acompanhado por um sentimento de participação nacional num esforço comum. Sua única ideologia foi a dos patrões. O que ocorreu, na realidade, foi uma violência contra a natureza humana. De acordo com uma certa perspectiva, esta violência pode ser considerada como o resultado da ânsia pelo lucro, numa época em que a cobiça dos proprietários dos meios de produção estava livre das antigas restrições e não tinha ainda sido limitada pelos novos instrumentos de controle social. Não foram nem a pobreza, nem a doença os responsáveis pelas mais negras sombras que cobriram os anos da Revolução Industrial, mas sim o próprio trabalho. (Edward P. Thompson. A formação da classe operária inglesa, vol. 2, 1987. Adaptado.) 
O texto afirma que a Revolução Industrial 
a) aumentou os lucros dos capitalistas e gerou a convicção de que era desnecessário criar mecanismos de defesa e proteção dos trabalhadores. 
b) provocou forte crescimento da economia britânica e, devido a isso, contou com esforço e apoio plenos de todos os segmentos da população. 
c) piorou as condições de vida e de trabalho dos operários, mas trouxe o benefício de consolidar a ideia de que o trabalho enobrece o homem.
d) representou mudanças radicais nas condições de vida e trabalho dos operários e envolveu-os num duro processo de produção. 
e) preservou as formas tradicionais de sociabilidade operária, mas aprofundou a miséria e facilitou o alastramento de epidemias.

10. (Uel 2009) Sobre a Revolução Industrial nos séculos XVIII e XIX, é correto afirmar. 
a) Por não haver complementaridade entre a atividade industrial e a pecuária (gado bovino, ovino), este foi o setor mais duramente atingido pela conversão da Europa rural em industrial.
b) O crescimento industrial na Inglaterra resultou em um processo conhecido como "segunda servidão", na qual os antigos servos rurais foram transferidos para as indústrias urbanas, visando ao aumento de produtividade das mesmas. 
c) Embora detivessem o poder político, tanto a burguesia rural como a aristocracia urbana não possuíam capitais que possibilitassem o desenvolvimento da Revolução Industrial, sendo esta, portanto, financiada pelos pequenos proprietários rurais. 
d) A industrialização na Grã-Bretanha iniciou-se com a instalação das indústrias de bens de capital (aço e maquinário) e, depois de estruturada essa base, partiuse para a produção de bens de consumo semiduráveis e não duráveis (tecidos, alimentos, bebidas). 
e) Uma condição indispensável para a transição do artesanato para a manufatura e desta para a indústria moderna foi a concentração da propriedade dos meios de produção nas mãos do capitalista. 



Continua...

-------------------------------

-------------------------------










Gabarito das objetivas

6. A

7. B

8. C

9. D

10. E

Comentários

Conteúdo Correspondente