Saiba mais sobre o 'Alfaiate Voador'

00:46 Junior Lopes 1 Comentários

O Alfaiate Voador
O homem que queria voar


Franz Reichelt

Tentou voar pulando da torre Eiffel em 1912




O filme 'Nós que aqui estamos, por vós esperamos', de Marcelo Masagão, despertou curiosidade nos alunos. Entre os diversos fatos narrados no filme, o que mais provocou perplexidade (e desconfiança), foi o Alfaiate Voador, como ficou conhecido o austríaco que pulou da Torre Eiffel em fevereiro de 1912 na esperança de voar.
Segundo o site da revista Exame, da editora Abril, Reichelt era inventor e apaixonado por aviação. Ainda segundo o site, o protótipo utilizado para o salto, que pode ser considerado um 'avô' dos paraquedas modernos, pesava setenta quilos e foi feito com seis metros de tecido. É claro que teste foram feitos antes do salto mortal, nos quais foram utilizados bonecos. O sucesso dos testes levou o austríaco a aventurar-se a saltar da torre Eiffel, naquela época a estrutura mais alta do mundo. Ele saltou de uma altura de sessenta metros, diante dos olhos da imprensa e da elite francesa. O problema é que o inventou falhou e Franz Reichelt foi direto ao chão. Uma autópsia detectou que o inventor não morreu com o impacto e sim de um ataque cardíaco antes de chegar ao chão. Segundo informações da Wikipédia, a queda chegou a abrir um buraco no solo, que pode ser conferido ao final do vídeo.

O filme foi a base para um trabalho do 9º ano, clique aqui para saber mais e conferir um link para o filme no YouTube.

Atenção: o vídeo tem imagens fortes e reais.


Um comentário:

  1. Infelizmente o vídeo do alfaiate voador foi excluído, mas vou ver se me lembro de disponibilizá-lo novamente. Em todo caso, basta procurar por "alfaiate voador" no YouTube.

    Abraço!

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário, ele estará visível assim que for aprovado.

Comentários anônimos podem ser publicados, porém não serão respondidos. Então, se quiser uma resposta, identifique-se. Ok?

Mais uma coisa, dependendo da correria do dia a dia, pode ser que eu demore um pouquinho para responder, mas pode ficar tranquilo que, cedo ou tarde, responderei.

Um abraço do professor Júnior